ZDB

Artes Visuais
Exposições

1984

— exposição de Teresa Milheiro

20.05 — 20.07.24
49 da Galeria Zé dos Bois

Inauguração:
20 de Maio 18:00 — 00:00

Horário ARCOLisboa:
21 a 26 de Maio 12:00 — 22:00
Entrada livre.

Horário 27 de Maio a 20 de Julho:
Segunda a Sexta 18:00 — 22:00
Entrada: 3€

Brinco. Série “Triunfo dos porcos” - Brinco prata / 2015
Objecto - Big Sucker - Resina com pigmento, silicone e prata com banho de ouro - 2010
Colar - Prata e vidro 2024
Objecto - vidro fundido 2024
Bracelete “Auto-defesa” alumínio anodizado 1988
Bracelete - zinco e acrilico 2023
Bracelete - vidro 2024
Objecto - vidro 2024

A obra de Teresa Milheiro institui o corpo enquanto lugar do inescapável conflito original entre o ser-humano e a sua natureza colectiva. À instância bio-política, sobre a qual se abate violência, controlo, alienação, obediência, resiste a incompletude da subjectividade frágil, porém sagaz, inconformada com a docilidade do sobreviver e empenhada em querer ser. Sem documentar quarenta anos de carreira, a exposição "1984" reúne obras existentes e inéditas, encenando, sobretudo, o diálogo da artista com a distopia orwelliana.

Teresa Milheiro

Com formação artística que passa pela Escola Artística António Arroio, o IADE e o AR.CO, e uma carreira de mais de trinta anos de criação e produção artística, Teresa Milheiro torna ímpar a sua abordagem à joalharia enquanto arte contemporânea.

Cada peça de joalharia criada é ampliada, assumindo-se enquanto obra escultórica, na qual o valor intrínseco e extrínseco da variedade de matérias-primas e da mestria e inovação técnicas procede um trabalho prévio de pesquisa e investigação conceptuais. Adicionalmente, o domínio estrito da joalharia contemporânea é extrapolado através do cruzamento disciplinar desta com outras formas de arte, nomeadamente em diálogos diversos com a fotografia, a música, o teatro e a performance.

Mantém, desde o início da sua carreira, presença assídua em exposições nacionais e internacionais, individuais e colectivas, de entre as quais se destacam as duas presenças, em ’92 e em ’07, em Munique, na Schmuck, a mais importante exposição de joalharia contemporânea a nível global ,em 23’ “Beyond Borders” Galeria Reverso, ’21 “ Obsessive Controlling Tools” Espaço Camões, ’21 “Spy on” Galeria Reverso 1º Bienal de Joalharia Contemporânea de Lisboa, ’19 “ the power of fragility” Galeria Sá da Costa, ’19 “Spirits & Guardians” Galeria ATTA , Bangkok, ’19 “1º Bienal de Joalharia Contemporânea Portalegre” Igreja do Convento de São Francisco , ’19 “ Convidados de Verão” FundaçãoCalouste Gulbenkian, em ’11, na Bélgica, na “Triennale Européenne du Bijou Contemporain”, ’23 “Passagem para um Outro Lado” no Museu do Teatro e da Dança, em ’16 com “Passagem para um Outro Lado” no Museu do Dinheiro, ’15 “ On the Horizon” Galeria Gaffa Gaffa Sidnay, ’15 “ Perfect Mutations” Galeria Chrissie Cotter, Sidnay, em ’14 com “Passagem para um Outro Lado” no Museu da marioneta, em ’14 “Pin – 10 anos” na Sociedade Nacional de Belas Artes, em ’13 com “Abecedário“ no 40o aniversário Ar.Co no Museu Nacional de Arte Contemporânea, em ’12 com “Border City” no Instituto Camões, em ’08 em Lisboa e no Rio de Janeiro na exposição “Joias Reaisem ’04 na exposição “Ponto de encontro – 25 anos de intervenção de joalharia do Ar.Co” no CAM – Fundação Calouste Gulbenkian, ou em ’90 na “Biennale des Jeunes Criateurs de L’Europe Meditérranee”, entre inúmeras outras. Em ’94, co-funda a Galeria Zé dos Bois. A partir de ’98, e durante dez anos, colabora com a empresa Archeofactu em colecções de joalharia destinadas a instituições e museus e inspiradas pelo património material ou intelectual destes, enquanto mantém em paralelo a criação e produção individuais e independentes. Em ‘07, cria a Galeria Articula. O seu trabalho está presente em colecções particulares nacionais e internacionais, conta com inúmeras inserções em catálogos e publicações nacionais e internacionais, participações em conferências e debates e em vários painéis como jurada de concursos. É professora de joalharia no Ar.Co de ’16. a ’19. O seu site www.teresamilheiro.com apresenta as obras referidas nesta nota e muitas mais. Em Março de ’18, a RTP apresenta o documentário “Jóias para que Vos Quero”.

Próximos Eventos

aceito
Ao utilizar este website está a concordar com a utilização de cookies de acordo com o nossa política de privacidade.