ZDB

Artes Visuais
Exposições

Apologia da Floresta e Outras Impressões

— de AnaMary Bilbao

05.04 — 19.06.21
Livraria ZDB

De segunda a sexta-feira
das 18h às 22h

© Bruno Lopes
© Bruno Lopes

Inauguração: 5 a 7 de Abril, das 17h às 22h.

A lotação do evento será limitada cumprindo as regras de distanciamento social previstas pela DGS. O uso de máscara é obrigatório.

A Livraria Zé dos Bois despiu uma das suas paredes de livros para acolher projectos de intervenção artística. É neste contexto que recebe a Apologia da Floresta e Outras Impressões, de AnaMary Bilbao, a convite de Joana Leão. Mostra composta por dois trabalhos resultantes de negativos de vidro, cuja relação dialógica, tanto na sua materialidade quanto na sua tonalidade, permite entrever uma unidade que se estabelece desde o momento da sua revelação, sem no entanto esgotar a diferença dos seus conteúdos.

Como duas forças opostas que se atraem, uma das imagens lembra uma floresta de onde se ausenta qualquer presença humana, enquanto a outra imagem, intersticial, se encontra repleta de impressões digitais deixadas na superfície do vidro e que impossibilitam o acesso à imagem fotografada. O humano lembrando o orgânico, mas no final como impossibilidade de regresso à origem, e o natural como representação do originário distante do humano, que apenas o observa de longe e sem nunca se tornar parte integrante da paisagem. Estas duas imagens carregam em si tanto presença como ausência. Lado a lado dialogam uma com a outra, ao mesmo tempo que determinam em silêncio a sua incomensurável distância. AnaMary Bilbao

AnaMary Bilbao

AnaMary Bilbao (Lisboa, 1986) estudou Pintura e Cinema / Imagem em Movimento no Ar.Co e é doutoranda em Estudos Artísticos – Arte e Mediações (FCSH – Universidade Nova de Lisboa e Birkbeck – University of London | FCT).
Em 2019 foi nomeada para o Prémio Novos Artistas Fundação EDP (13ª Ed.). Em 2014 foi distinguida como Jovem Artista – Artes visuais pelo CPAI – Clube Português de Artes e Ideias.
Exposições individuais: Lighted by a Searing Light, Travessa da Ermida (Lisboa, 2019); O último brilho da estrela que morre, Galeria UMA LULIK__ (Lisboa, 2018); Fallacious Memory, Caroline Pagès Gallery (Lisboa, 2014); Presente passado, Galeria Boavista (Lisboa, 2013).

O seu trabalho encontra-se representado nas coleções públicas Coleção António Cachola, Coleção de Arte Contemporânea Figueiredo Ribeiro, Fundação Leal Rios, Fundação PLMJ e C.M.S. – Câmara Municipal de Sintra e em coleções privadas (PT, ES, FR, GB, DE, RU, BR, CAN).

Programa Relacionado

Próximos Eventos

aceito
Ao utilizar este website está a concordar com a utilização de cookies de acordo com o nossa política de privacidade.