ZDB

Música
Concertos

DJ Assault ⟡ Neurodancer

Ter30.11.2122:00
Galeria Zé dos Bois


De acordo com as medidas previstas pela Direcção-Geral da Saúde informamos que, para além do certificado de vacinação, será necessária a apresentação de comprovativo de teste negativo, realizado em farmácia nas últimas 48h, ou PCR nas últimas 72h. Obrigada pela compreensão.

DJ Assault

Praticamente uma lenda viva da música de Detroit, DJ Assault toma para si o Aquário com cunho bem vincado nas fundações do ghettotech ou booty music. No lado mais festivo e directo do legado electrónico da cidade e género do qual é pioneiro, ao lado nomes como DJ Funk ou DJ Godfather, pega no lado mais cru da ghetto house e na mecânica electro e recolhe daí a energia cinética para um 4/4 acelerado, na cara e em transições constantes – história nos pratos pela via mais celebratória e condensada, sem grandes conjecturas ou conceptualizações, das origens inspiradas nas passagens rápidas do “Wizard” Mills com discos de 2 Live Crew, UR, Ectomorph ou Miami Bass com pitch subido ao máximo até à produção própria deste chefe, e outros, na sua lendária Electrofunk.
Glorificação/objectivação na pista do booty e demais matéria quase pornográfica, através de shout outs repetidos como mantra com selo parental advisory. Passe a misoginia latente que possamos aqui ouvir, mesmo quando a saudosa K-HAND (D.E.P.) afirmou “When I was playing the [Club Zippers] residency every week, it was majority women in the club, dancing. Women really enjoyed that [raunchy] style of music a lot” há um apelo inegável em clássicos como ‘Ass N Tittes’ ou ‘Gel N Weave’ e no fluxo electrizante dos vários volumes de Straight Up Detroit Shit para que tudo isto possa valer muito. BS

Neurodancer

Um dos membros fundadores da editora lisboeta Capital Decay, Neurodancer vive intensamente a pesquisa e partilha de música e vê o DJing como a sua extensão lógica. Para a pista de dança, tem preferência por sonoridades físicas e robóticas — não há expressões das quais goste mais do que “body music” e “machine funk” —, sem deixar de parte as melodias e vozes que nos lembram que quem está por trás de tudo (ainda) são humanos.

Próximos Eventos

aceito
Ao utilizar este website está a concordar com a utilização de cookies de acordo com o nossa política de privacidade.